CRÔNICAS DO SURDO

PapoFamília

Testemunho do Zé:

Um tempo atrás, começou a baixar em mim certo abatimento, insatisfação, falta de ânimo. O meu escritório aqui nos fundos, que eu amo e onde me realizo, andou perdendo a graça. Escrever para o blog virou uma tortura, também para que escrever? Ou para quem? Onde estão os milhões de acessos que eu expliquei direitinho para Deus do jeito que queria? O pior é que descobri um blog chamado Crônicas da Surdez, de uma deficiente auditiva, que tem milhares de acessos por mês. Por mês! E ainda virou livro, bem badalado, por sinal. Respeito muito esses deficientes, me identifico, sou bem surdo de um ouvido, mas milhares? O que tem de palpitante? Vou mudar meu blog para Crônicas do Surdo, quem sabe.

Tenho dois livros escritos e nenhum deles está na lista dos mais mais da Veja. Pudera, nem foram publicados, nem editados, nem aprovados por nenhuma editora. Nem eu fui convidado pelo Jô para dar entrevista.

Meus e-mails? Recebo da República dos Sapatos Femininos, da Vania Souza dizendo que se eu não pagar o boleto anexo vou para o Serasa, da Verônica mandando ‘aquelas’ fotos, lembra? De amigos mandando piadas, correntes, avisos para não beber em certos bares que você pode acordar sem o fígado numa banheira cheia de gelo. Eu nem bebo.

E o Celebrando, maravilhoso ministério da minha igreja que liderei por muitos anos, desde 2004? Chegava às sete, eu e o Carlão, varríamos a sala, ligávamos os ventiladores, ajeitávamos as cadeiras, o Carlão instalava o som, punha a toalha na mesinha, ajeitava os livros, o guaraná, os salgados, pendurava os banners e as placas. Depois a gente sentava para esperar, fazíamos uma reunião a dois. Hoje tem novos líderes, virei um velho resmungão. Sabe aquele cara que fica sentado lá no fundo, fazendo cara de pouco caso e balançando a cabeça, desaprovando tudo?

Nos meus momentos de partilha e oração com a Cecília, comecei a pedir a Deus novos rumos, novas emoções, novos assuntos menos chatos que os meus. – Estou sem ânimo, Pai, abatido, insatisfeito.

A resposta do Eterno demorou uns dias, mas veio. Pegou-me no contrapé, mas tem me feito um bem enorme. Voltei humildemente para meu escritório, para meu blog, para meus livros, para minhas palestras. O Pai falou-me firmemente, na forma de uma frase de um devocional de Brennan Manning:

‘Os orgulhosos, ou os que se acham ricos em espírito dedicam tempo considerável almejando e sofrendo pelas coisas que não tem. O humilde, o que se reconhece pobre em espírito, desfruta e celebra as coisas que tem’.

José Roberto Soares Pires / http://blogdozero.soporhoje.zip.net/

Publicado em Família

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Nossos Papos

Todos os Papos