COLABORADORES SATISFEITOS, RESULTADOS MELHORES

 

PAPOSÉRIO


Por Rick Boxx

Uma organização chamada ‘Proporcionando Felicidade no Trabalho’ fez grandes descobertas que foram realçadas num artigo do Wall Street Journal sobre satisfação dos colaboradores. O estudo descobriu que colaboradores satisfeitos têm produtividade 31% maior, aumentam as vendas em 37% e são 3 vezes mais criativos.

Embora a pesquisa não tenha chegado a esta conclusão é provável que o nível de presença também seja mais alto e o de ausência menor, quando colaboradores se sentem satisfeitos e realizados com o trabalho que desempenham.

A pesquisa identificou três principais fatores para a existência de colaboradores satisfeitos em uma organização: (1) As pessoas precisam gostar das tarefas que lhes são exigidas. (2) Precisam manter foco nas coisas que fazem melhor. (3) Precisam se orgulhar de seu empregador.

Com base nessa pesquisa, para elevar a produtividade é aconselhável conhecer e cuidar das forças e paixões dos colaboradores. Uma passagem da Bíblia, embora dirigida ao contexto agrário, se aplica a este caso: ‘Esforce-se para saber bem como suas ovelhas estão, dê cuidadosa atenção aos seus rebanhos’ (Provérbios 27.23).

Tentar implementar os fatores acima seria bom começo. Mas podemos aprender como preencher essas necessidades de forma mais específica solicitando sugestões dos colaboradores ou realizando reuniões com pequenos grupos onde suas ideias sejam acolhidas e consideradas. Entretanto, sua satisfação deveria envolver mais que o desejo de melhorar a produtividade, mas estabelecer um ambiente de trabalho que gere satisfação.

E se os papéis se invertessem: os colaboradores e aqueles que se reportam a você assumem seu lugar, e você se reporta a eles? Como você gostaria de ser tratado? Que espécie de ambiente você gostaria que lhe proporcionassem? No discurso chamado, ‘O Sermão da Montanha’, Jesus disse a Seus seguidores: ‘Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam’ (Mateus 7.12).

Geralmente presumimos que colaboradores são motivados basicamente por compensação financeira e benefícios palpáveis. Entretanto, colaboradores mais valiosos e que melhor contribuem e permanecerão contribuindo para o bem da empresa, são também os que demandam benefícios intangíveis, como satisfação, realização e reconhecimento pelo trabalho que fazem.

Milhares de anos atrás o rei Salomão fez esta observação em Eclesiastes 5.19: ‘E quando Deus concede riquezas e bens a alguém e o capacita a desfrutá-los, a aceitar a sua sorte e ser feliz em seu trabalho, isso é um presente de Deus’.

Rick Boxx é presidente e fundador da ‘Integrity Resource Center’, escritor internacionalmente reconhecido, conferencista, consultor empresarial, CPA, ex-executivo bancário e empresário. Adaptado, sob permissão, de ‘Momentos de Integridade com Rick Boxx’, um comentário semanal acerca de integridade no mundo dos negócios, a partir da perspectiva cristã. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes (fortes@cbmc.org.com)

MANÁ DA SEGUNDA® é uma refelxão semanal do CBMC

Publicado em Mente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Nossos Papos

Todos os Papos